terça-feira, 4 de junho de 2019

Resenha do polêmico Filme O caminho da Fé - disponível na NetFlix

O longa metragem O caminho da fé, produzido pela NetFlix é baseado em fatos reais e conta a história do Bispo Carlton Pearson, de sua fase pentecostal com ênfase em dons e prosperidade até o seu liberalismo teologico ao chegar na igreja inclusiva. Um filme muito interessante e triste principalmente por ser uma história real.

A produção narra como o pregador pentecostal Carlton Pearson que pregava para multidões e chegou a ser chamado pelos presidente Bush e Clinton na década de 90 para dar conselhos, perdeu-se em sua fé Cristã evangélica bíblica. Ocorre que ele após ter toda a fama e reconhecimento acabou sendo atraído para uma resposta teologica equivocada, passou a ser universalista por não saber lidar com a perda de um ente querido e não saber dar resposta ao problema dos não salvos. O filme retrata muito bem isso, mostrando como ele começou a pregar que todos os humanos eram salvos, independente de sua religião ou de conhecer a Cristo ou não, ao tirar a doutrina da eleição, e a salvação exclusiva por Jesus Cristo, escandalizou a igreja em sua época (ano de 1998), perdendo seus fiéis e sendo julgado pelo conselho dos bispos afro-americanos.

A trama é muito fiel a história, mostra o lado humano do bispo, bem como o lado humano também de todos os envolvidos, inclusive pastores que estavam com ele e davam conselho para ele, mostra o sofrimento dos membros até o esvaziamento da sua pregação sobre o pecado. Na última cena já mostra a sua tendência para o futuro de seu pensamento liberal/inclusivo que não sabe o que significa pecado, e coloca um "amor vazio" acima da exclusividade da Salvação em Jesus e também trás um apelo sentimentalista contra o legalismo, mas que foge totalmente da Bíblia.

O filme é interessante ao mostrar como as questões doutrinárias dividem a corpo de Cristo, um olhar mais crítico também aponta para questões essências, como um texto bíblico fora do contexto pode atrapalhar o entendimento teologico da doutrina da Salvação, neste ponto a produção da Netflix não deu muito espaço para a argumentação da exclusividade de Cristo, outro detalhe também interessante é que como a "experiência de fé" a palavra "profética", pode criar falsas doutrinas e envenenar a igreja. Para um bom reformado saber as bases de sua fé, inclusive o que Lutero dizia sobre "somente a escritura" e "somente a fé" é muito importante para o seu entendimento.

Existem preocupações adicionais sobre a produção O Caminho da Fé, ele é uma obra cinematográfica com um cenário cinzento e argumentativo, não é um filme genuinamente gospel, não é indicado para quem está começando sua caminhada cristã pois pode confundir os conceitos básicos sobre a fé evangélica, ele é  indicado para uma boa discussão no âmbito teologico, principalmente devidos a ventos liberais advindos de igrejas inclusivas,  é um filme para ser apreciado com muita moderação e cautela.

 Do ponto de vista crítico o longa metragem é muito interessante por diversas discussões, inclusive  o medo/gratidão. Enfim está na maior plataforma de filmes do Mundo e talvez seja uma discussão necessária para a igreja entender o porque não podemos acreditar nos conceitos de Carlton Pearson e no liberalismo inclusivo.

Um comentário:

Thais L. V. Toledo disse...

Eu acho que é algo que está acontecendo atualmente em muitas igrejas. A graça se tornou barata e parece que as pessoas estão usando Deus de "amuleto". Deus é bom, Deus é amor e somente isso. Só que não. Deus é justo, Deus odeia o pecado e Deus é santo. Que possamos conhecer o verdadeiro Deus e não o que essas igrejas "inclusivas" estão dizendo que é Deus.