Mostrando postagens com marcador Católico. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Católico. Mostrar todas as postagens

domingo, 20 de setembro de 2020

Elefante Branco, filme argentino retrata a Fé e transformação social no meio da miséria.

 
Filme Elefante Branco

O longa metragem Elefante Branco, é uma produção argentina que ganhou notoriedade no cinema, mostrando o trabalho dos padres para melhoria das condições da população argentina que sofre com a miséria, trata-se de um filme que mostra a realidade e a responsabilidade social cristã, muitos também podem assistir e acreditar que se trata da propagação de um ramo da igreja católica o da teologia da libertação. Um excelente e sensível filme. Leia a ficha técnica: 
Sinopse: O padre Julián e o padre Nicolás trabalham ajudando os menos favorecidos na favela de Villa Virgen, periferia de Buenos Aires. O local é um antro de violência e miséria. A polícia corrupta e os próprios sacerdotes da Igreja nada fazem para mudar essa realidade e os dois sacerdotes terão de por suas próprias vidas em risco para continuar do lado dos mais pobres. 
Título Original: Elefante Blanco 
 Direção: Pablo Trapero 
Gênero: Drama 
Duração: Pablo Trapero 
Origem: Argentina 
Tipo: Longa
 Ano: 2002 
 Assista o trailer do filme Elefante Branco

domingo, 3 de maio de 2020

Filme Homens e deuses (2010) aborda a perseguição aos cristãos no norte da Africa

O longa metragem Homens e Deuses, é uma produção francesa que concorreu ao Oscar em 2011 na categoria melhor filme estrangeiro, recebeu também o prêmio do Juri do Festival de Cannes em 2010, ele trata da perseguição religiosa aos cristãos da Argélia. Leia a ficha técnica:
Sinopse: Década de 90. Um grupo de oito monges franceses vive em um mosteiro localizado no alto de uma montanha na Argélia. Liderados por Christian (Lambert Wilson), eles vivem em perfeita harmonia com a comunidade muçulmana local. O exército oferece proteção contra as ameaças que surgem, mas os monges a recusam. Preferem levar sua vida de forma simples, dando continuidade à sua missão independente do que vier a acontecer com eles.
Título Original: Des hommes et des dieux
Direção: Xavier Beauvois
Gênero: Drama
Duração: 120 minutos
Origem: França
Tipo: Longa
Ano: 2010
Assista o trailer do filme Homens e Deuses



sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

Resenha do filme Dois Papas

O longa metragem Dois Papas dirigido pelo brasileiro Fernando Meirelles, é um dos grandes nomes para o Oscar na categoria melhor roteiro e aborda os bastidores de grandes discussões teológicas para bilhões de cristãos católicos e que com certeza influência também o mundo cristão em geral. Ele está disponível na Netflix

Dois Papas, aborda a divisão de pensamento entre a cúpula da Igreja Católica entre manter uma tradição de séculos ou reformar a Santa Fé. Do lado do Papa Francisco estão aqueles que querem reformar a Igreja,  dar a comunhão para os divorciados e permitir padres casarem, inclusive utilizando como argumento a própria história como a questão do Apóstolo Pedro conforme conta a Bíblia, ser  casado, do lado do Papa Bento XVI está a tradição da igreja de manter missas em latim, a ortodoxia católica histórica dos últimos séculos. A produção também mostra o flerte do Papa Francisco com a teologia social da Igreja, principalmente com a teologia da libertação.

A história do Papa Francisco também é contada, desde o chamado até algumas  curiosidades como ele já ter sido noivo, até momentos mais críticos de sua vida e ministério,  como seu posicionamento durante a ditadura na Argentina, já do lado do Bento XVI a polêmica se dá na grande crise da Igreja com os escandâ-los sexuais dos padres e bispos e a forma com que ele lidou com as denúncias.

O filme é uma obra prima que consagra a carreira de um dos mais brilhantes diretores que o Brasil já teve, Fernando Meirelles. É possível perceber nas canções e na fotografia a valorização da latino-América, do povo sofrido pela pobreza, mas também de sua força, do futebol enfim da nossa cultura. Um filme profundo sobre a cristandade, vale a pena assistir!

domingo, 18 de agosto de 2019

Padre Brown, série da BBC baseada na obra de G. K. Chesterton estreia na TV Cultura

A série Padre Brown, é baseada no livro do jornalista, escritor e teólogo G. K. Chesterton, o teólogo de formação católica foi reconhecido por criticar a filosofia moderna em diversos livros escritos por ele, criando também ensaios como o suspense Padre Brown, um de seus maiores admiradores e assíduo leitor de suas obras foi o C.S.Lewis autor do Crônicas de Nárnia.

Ambientada no interior da Inglaterra dos anos de 1950, a série Padre Brown (Father Brown), de alta relevância no ambiente televiso britânico, teve o primeiro capítulo da quinta temporada transmitido pela TV Cultura nesta sexta do dia 16 de agosto as 19h45. O personagem principal do seriado é interpretado por Mark Williams, ator conhecido por ter dado vida ao patriarca da família Wesley, Arthur, na saga Harry Potter. A trama, criada por Rachel Flowerday e Tahsin Guner, vai além do ofício clerical, girando em torno de um padre católico que possui um impressionante e impensável talento para solucionar crimes.

Com uma audiência global consistente, Padre Brown está presente em torno de 150 países. Devido ao sucesso conquistado, o seriado também acaba de ganhar mais uma temporada, que se soma às outras seis já lançadas e exibidas desde janeiro de 2013 na BBC. Desde setembro de 2018 com a exibição na TV Cultura, o público brasileiro poderá conferir os 70 episódios de 52 minutos cada, que, além de Mark, contam com um elenco formado por artistas como Sorcha Cusack (Mrs Bridgett), John Burton (Seargeant Goodfellow), Nancy Carroll (Lady Felicia) e Alex Price (Sid Carter). Ao longo dos cinco anos de produção, a série já esteve sob a direção de diferentes nomes, como Paul Gibson, Matt Carter, Ian Barber, Diana Patrick e Gary Williams.

É somente por meio da intuição e da psicologia que Padre Brown é capaz de resolver os mistérios. Os anos em que passou no confessionário, escutando as mais diversas confissões dos fiéis de sua igreja, deram a ele certo parâmetro a respeito da origem do mal e do funcionamento da mente de um criminoso. Cheio de humor e compaixão, o sacerdote-detetive Brown é um bom homem, ótimo padre e excelente detetive. Exercendo o ofício de sacerdote de maneira totalmente inusitada, Padre Brown está mais interessado em salvar a alma daqueles que cometeram os crimes do que em trazer culpa a essas pessoas.

O cenário tem características tipicamente britânicas: grandes casas interioranas de arquitetura vitoriana, jardins secretos e estações de trem.


segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Batismo de Sangue, filme mostra a perseguição da Ditadura dentro da Cristandade

Batismo de Sangue
Batismo de Sangue é um filme nacional que mostra a perseguição da ditadura militar do Brasil de 1964 a 1985 que  torturou e matou os cristãos católicos (padres dominicanos)  por defenderem os direitos humanos, lutarem contra o abuso de poder, pela falta de liberdade de expressão, pela cassação dos direitos políticos dos civis e as torturas no porão do Dops e principalmente por acobertar pensadores que eram contra o regime militar imposto no país.
Título Original: Batismo de Sangue
Sinopse: São Paulo, fim dos anos 60. O convento dos frades dominicanos torna-se uma trincheira de resistência à ditadura militar que governa o Brasil. Movidos por ideais cristãos, os freis Tito (Caio Blat), Betto (Daniel de Oliveira), Oswaldo (Ângelo Antônio), Fernando (Léo Quintão) e Ivo (Odilon Esteves) passam a apoiar o grupo guerrilheiro Ação Libertadora Nacional, comandado por Carlos Marighella (Marku Ribas). Eles logo passam a ser vigiados pela polícia e posteriormente são presos, passando por terríveis torturas.
Direção:  Helvécio Ratton
Gênero: Drama/Biografia
Duração:110 minutos
Origem: Brasil
Ano: 2007
Assista o trailer do filme Batismo de Sangue


segunda-feira, 30 de outubro de 2017

"A promessa" filme mostra o Império Otomano perseguindo os cristãos Armênios

A Promessa –“The Promisse”, 2017– do diretor irlandês Terry George (do muito bom Hotel Ruanda, de 2005) estreou agora em maio no Brasil. A premissa básica do filme é simples: contar uma história menor dentro de uma história maior. Exemplo desta fórmula é o mega-sucesso Titanic, do fim dos anos de 1990. No caso, a história menor é a história de um triângulo amoroso, e a maior, uma das mais dramáticas, e menos comentadas do século passado: o genocídio armênio por parte do governo turco, ocorrido há exatos cem anos, antes e por ocasião da Primeira Guerra Mundial. Calcula-se que entre 1915 e 1923 cerca de um milhão e meio de armênios foram massacrados. O fato de o filme tocar neste ponto delicado da história mundial provocou uma polêmica muito candente, porque o governo turco até hoje não reconhece que a perseguição e extermínio sistemáticos perpetrados pelo então Império Otomano à população armênia em seu território tenha sido um genocídio, isto é, uma tentativa explícita de extermínio total de um povo.

A história maior

Para entender o contexto de A Promessa é necessário então comentar sobre estes elementos históricos. O Império Otomano, antecessor da atual República da Turquia, foi um dos mais poderosos do planeta em seu tempo, pois dominou boa parte do Oriente Médio, leste da Europa e norte da África. Durante séculos (o Império Otomano durou em torno de seiscentos anos) houve relativa estabilidade. Em 1453 os turcos otomanos tomaram Constantinopla, o que provocou a queda do Império Romano do Oriente, e mudaram seu nome para Istambul. Os projetos de expansão imperialista continuam, e os otomanos dirigiram sua atenção para a Europa, mas foram derrotados pelos austríacos no século XVIII. Todavia, no século seguinte os turcos travam, e vencem a Guerra da Criméia, contra os russos . O apoio dos ingleses e franceses foi elemento chave na vitória turca. O vasto Império Otomano começa a ter dificuldades financeiras. Em tentativa de modernização, aproxima-se da Alemanha, lutando ao lado desta na Primeira Guerra Mundial, contra os antigos aliados França e Inglaterra. A derrota da Alemanha lançou o país em um buraco, só que arrastou a Turquia com ela.

Como é comum acontecer em situações assim, é importante encontrar um bode expiatório. Afinal, alguém precisa receber a culpa dos problemas que o governo não consegue resolver. A bola da vez no caso foi a população armênia, predominante cristã, enquanto os turcos otomanos eram muçulmanos. A Armênia, vale lembrar, tornou-se a primeira nação cristã da história. Antes que o Império Romano se tornasse oficialmente cristão, por decreto do Imperador Teodósio, no ano 380, a Armênia já o era, desde o ano 301. Desde então todos os sobrenomes armênios são marcados pelo sufixo ian, que vem de Christian, isto é, cristão. Nomes como Nercessian, Balabanian, Parsekian, Kuiumjian, Berberian, Andropian, e muitos, muitos outros, revelam origem armênia e cristã.

A Armênia, que faz fronteira com a Turquia, pertencia ao Império Otomano durante os eventos retratados no filme A Promessa. Os armênios cristãos foram apontados como inimigos do império, e, por isso, perseguidos. É este o contexto histórico mais amplo do filme, sua história maior.

A história menor

A história menor é a do triângulo amoroso que envolve o armênio Michael (vivido pelo ator guatemalteco Oscar Isaac, que está a cara do brasileiro global Rodrigo Lombardi), que sonha em se formar em Medicina, a sofisticada Ana, que também é armênia (a atriz franco-canadense Charlotte Le Bom), e o noivo dela, o jornalista norte-americano Chris (o ator inglês Christian Bale), enviado por seu jornal exatamente para cobrir os casos de violência contra os armênios. Michael e Ana compartilham muita coisa por conta da origem cultural-religiosa comum, e não demora a que se envolvam. Entre encontros e desencontros, os três fazem tudo que podem para denunciar as atrocidades e salvar quantos armênios conseguirem. O filme apresenta de maneira muito positiva, embora sem dar detalhes, o trabalho de uma determinada “Missão Protestante”, que se desdobrou na tentativa de salvar especialmente crianças armênias. No fim eles são ajudados por uma belonave francesa, e há uma ponta do sempre ótimo Jean Reno, como o Almirante Fournet, que ordena uma missão de resgate de um grupo de crianças que estava sendo bombardeado por um pelotão do exército turco.

O filme e a crítica

A narrativa algumas vezes é um pouco arrastada, e o filme se perde entre ser documentário e ser filme propriamente. Foi muito criticado por apresentar os turcos como malvados e os armênios como vítimas. Mas esta crítica não procede. Não apenas não procede como não faz o menor sentido. Por exemplo, como pensar A lista de Schindler sem apresentar judeus como vítimas e nazistas alemães como cruéis? O fato, que não há como negar, é que houve sim uma tentativa de erradicação de uma minoria por esta ser responsável pelo “crime” de não adotar a religião do grupo dominante.

Esta situação continua. O Daesh, ou Estado Islâmico, como é conhecido no Ocidente, tem massacrado milhares e milhares de cristãos, coptas, assírios, siríacos, e outros, no Oriente Médio e norte da África, cristãos que estão naquelas regiões desde os tempos do Novo Testamento. O que a ONU tem feito diante desta situação? O Boko Haram tem massacrado cristãos na Nigéria. Mas estes cristãos são negros e pobres. Não dão tanto ibope como dariam se fossem europeus brancos secularizados.

A história do cristianismo mostra episódios tristes em que a fé cristã organizada foi perseguidora cruel de minorias e dissidentes. Mas estes dias ficaram no passado, e não podem servir sequer de argumento em discussões do tipo “mas os cristãos fizeram as Cruzadas contra os árabes”. Este tipo de argumentação circular não ajuda, nem leva ninguém a lugar nenhum. Já tem sido divulgado que o século XX testemunhou mais mártires cristãos que em todos os dezenove anteriores. E tudo indica que isto não diminuirá nos próximos anos. Muito sangue ainda será derramado, pelo “crime” de ser sangue pertencente a uma pessoa que professa a fé em Jesus de Nazaré.

Críticos de cinema secularizados não verão muito valor em um filme como A Promessa. Seja como for, o grande mérito deste filme de Terry George está em denunciar uma situação que existiu e existe. A Promessa é como o menino que em sua ingenuidade aponta o dedo e não tem medo nem vergonha de dizer o que todos sabem, mas por conveniência não têm coragem de dizer: “o rei está nu”.

Critica escrita por Carlos R. Caldas Filho, para o portal Ultimato

Assista o trailer do filme A  Promessa (Legendado)


segunda-feira, 27 de março de 2017

Cristiada, filme conta história dos mártires cristãos no México

O filme “Cristiada” foi rodado no México e é baseado no conflito mexicano dos Cristeros, ocorrido entre 1926 e 1929, ele narra a história de diversos mártires de cristãos católicos no México, uma história até então desconhecida sobre perseguição religiosa na América Latina em pleno século XX. Leia a ficha técnica:
Sinopse: O filme se passa na Guerra Cristera, revolução mexicana que iria determinar o conceito de liberdade para aquela nação. Um conflito que se trasformou em uma guerra pelo direito civil.
Titulo Original: For Greater Glory: The True Story of Cristiada
Direção: Dean Wright
Gênero: Drama, Gurra
Duração:
Origem: EUA
Tipo: Longa
Ano: 2012
Assista o trailer do filme Cristiada


segunda-feira, 7 de março de 2016

O Manto Sagrado - Filme clássico vencedor do Oscar

O longa Metragem O Manto Sagrado foi lançado em 1953 e após ser masterizado foi relançado em 1981, a produção custou 5 milhões  de dólares e  rendeu o Oscar de melhor direção e melhor figurino, sua sequência foi o famoso filme Gladiador, lançado em 1954, o filme já está disponível no Telecine Cult. Leia ficha técnica:
Sinopse: Nos últimos anos do reinado de Tibério (Ernest Thesiger), quando Roma era a "dona do mundo", Marcellus Gallio (Richard Burton) é um tribuno que está sempre envolvido com jogos ou mulheres. Além disto tem uma rixa pessoal com Calígula (Jay Robinson), o herdeiro do trono. A situação se complica quando Marcellus oferece, em um leilão de escravos, a absurda quantia de três mil moedas de ouro por Demétrio (Victor Mature), que também estava sendo disputado por Calígula. Ao se ver derrotado por Marcellus, Calígula encara isto como uma afronta pessoal e então manda o tribuno ir servir imediatamente em Jerusalém, na Palestina, considerado o pior lugar do império. Entretanto, devido a motivos políticos, após pouco tempo em Jerusalém o tribuno é chamado de volta por Tibério. Mas, antes de partir, recebe a missão de supervisionar a execução de uma sentença: a crucificação de Jesus Cristo. Finda a tarefa, ele e outros soldados disputam em um jogo de dados próximo à cruz a posse do manto vermelho usado pelo mártir. Marcellus vence mas o manto fica com Demetrius, pois quando Gallio tentou usar o manto algo o afligiu de forma indescritível. Demétrio, que já tinha se tornado um cristão, lhe tirou o manto e disse que jamais o serviria novamente, pois ele tinha crucificado seu mestre. Em seu retorno Gallio fala frases sem sentido, como se algo muito forte o atormentasse. Já em Capri, onde estava o imperador e Diana (Jean Simmons), que Gallio ama e é correspondido, alguns membros da corte e o próprio Tibério, vendo que Gallio se portava de modo estranho, ouvem por horas o que aconteceu com o tribuno em Jerusalém. Tibério acha que o tribuno pode ter perdido a razão, mas quando Gallio atribui que a aflição que sente só aconteceu após se cobrir com o manto de Jesus, então o adivinho da corte conclui que o manto estava enfeitiçado e precisa ser destruído. Isto parece lógico tanto para Tibério como para Marcellus, então o tribuno irá retornar à Palestina para destruir o manto e descobrir os nomes dos cristãos, mas esta viagem irá afetar profundamente sua vida.
Título Original: The Robe
Direção: Henry Koster
Gênero:Drama, Histórico
Duração: 135 min.
Origem: EUA
Ano: 1953
Tipo: Longa
Assista  o trailer do filme O Manto Sagrado

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Irmãos de fé, filme brasileiro conta a história dos Apóstolos e faz um paralelo com a igreja hoje

O longa metragem Irmãos de Fé, produzido por Diler e Associados e Columbia Tristar, foi distribuído aqui no Brasil pela Sony Pictures, conta com um elenco de grandes nomes como Othon Bastos, Jose Dumont, Thiago Lacerda, Gustavo Ottoni, e a participação  do padre Marcelo Rossi, leia a ficha técnica:
Sinopse: "Irmãos de Fé" conta uma história do nascimento da igreja Cristã, e outra do renascimento de um menino. Uma das histórias do filme acontece há dois mil anos e mostra a trajetória de um homem Paulo que foi perseguidor de cristãos e acabou tornando-se um dos seus maiores lideres. Ao mesmo tempo em que apresenta a sabedoria de um outro Pedro que soube reconhecer o novo e fazer a ponte entre o passado e o futuro. A outra história se passa na São Paulo de hoje, na Febem, e mostra o encontro entre um homem de Fé, o Padre Marcelo, e um marginal, o adolescente Paulo. Um encontro que começa marcado pela violência de um sequestro relâmpago e se torna um caminho em direção a liberdade e à esperança.
Título Original: Irmãos de Fé
Direção: Moacyr Góes
Duração: 78 min.
Gênero: Bíblico
Origem: Brasil
Ano: 2004
Tipo: Longa
Assista o trailer do filme Irmãos de Fé

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Resenha do filme Amém

O longa metragem Amém dirigido por Costa Gravas, é uma das melhores produções cristãs que eu já assisti. O filme é baseado em fatos reais, possuí ótimos atores, um cenário que retrata a Segunda Guerra Mundial, com uma excelente fotografia, enfim é um daqueles filmes que retratam a triste história do nazismo, mas do ponto de vista cristão.

A história é baseada na vida do alemão Kurt Gerstein, um cristão convicto da igreja Luterana, que trabalha como engenheiro, ele é convocado pelos nazistas para fazer as camaras de gás, todavia ele não sabe qual é o seu propósito. Ao descobrir procura denunciar dentro da igreja Luterana de seu país o que está ocorrendo, as mortes em massa, pedindo o apoio dos cristãos, todavia os líderes da igreja não se interessam, sendo assim ele procura os cristãos católicos, que também se negam a manifestar contra o nazismo, Kurt procura também a diplomacia, sendo ele um agente duplo, no qual serve os nazistas para maquear e boicotar os seus projetos, enquanto age pela sua consciência a favor do povo judeu, mas esbarra na burocracia institucional das igrejas e o medo delas de perder o poder e suas condições de legalidade.

O filme mostra as atrocidades de uma guerra e também é uma reflexão sobre o papel político das igrejas cristãs no mundo, mostrando um grande conflito entre a diplomacia e o evangelho genuíno de Cristo. Enfim pode ser criado várias pontes com as denúncias dos profetas menores e a forma no qual nós cristãos devemos nos manifestar as injustiças sociais.

Leia a ficha técnica e assista o trailer do filme [clique aqui]

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Amem, um filme que retrata a luta de um cristão contra o Nazismo

O longa metragem Amem, mostra a mobilização de um cristão  que quer denunciar o nazismo no Vaticano. É um filme muito bonito e triste que já foi lançado no Brasi, distribuido pela Casablanca filmes. Leia a ficha técnica:
Sinopse: Kurt Gerstein (Ulrich Tukur) é um oficial do Terceiro Reich que trabalhou na elaboração do Zyklon B, gás mortífero originalmente desenvolvido para a matança de animais mas usado para exterminar milhares de judeus durante a 2ª Guerra Mundial. Gerstein se revolta com o que testemunha e tenta informar os aliados sobre as atrocidades nos campos de concentração.Cristão, busca chamar a atenção do Vaticano, mas suas denúncias são ignoradas pelo alto clero. Apenas um jovem jesuíta lhe dá ouvidos e o ajuda a organizar uma campanha para que o Papa (Marcel Iures) quebre o silêncio e se manifeste contra as violências ocorridas em nome de uma suposta supremacia racial.
Título Original: Amém
Direção: Costa-Gavras
Gênero: Drama
Duração: 132 min.
Origem: França, Romênia, Alemanhã
Tipo: Longa
Ano: 2012
Assista o trailer do filme Amem