segunda-feira, 1 de julho de 2019

Resenha do documentário Avisem que nós estamos chegando -

O documentário Avisem que nós estamos chegando, dirigido por Stanley Nelson, é simplesmente um achado entre os documentários disponíveis em canais fechado, no caso este encontra-se no canal Philos. Ele possuí uma grande história sobre a educação da população negra norte americana, suas lutas, seu empoderamento, a participação cristã na luta contra o racismo.

O documentário  é recheado de fotos e vídeos amadores, conta desde o inicio como se deu a educação dos afro-descentes americanos, desde a escravidão no qual eram proibidos de apreender a ler e escrever pelos seus patrões pois muitos Estados criaram leis que quem ensinasse um negro, poderia ser punido pela multa de cem dólares e até a prisão. Após o fim da escravidão o documentário mostra a bela história da Associação missionária Americana que tinha como objetivo evangelizar os ex-escravos, oferecendo escolas, ensinando-os a ler e a escrever, criando universidades negras em quase todos os estados, nesta época a Associação Metodista Afro-americana investiu da mesma forma na educação e ainda com um diferencial a luta cidadã por direitos civis e pelo fim do Aparthaid social.

O documentário após uma introdução educacional passa para um outro nível, com diversos depoimentos sobre a década de 60 onde a juventude negra começa um grande movimento pelo fim da segregação racial em grandes protestos em todo os Estados Unidos a favor da justiça social e igualdade entre os homens,  neste ponto a filosofia do pacifismo é demonstrado, enquanto milhares de jovens universitários negros começavam a ocupar o espaço até então exclusivamente branco, devido a leis injustas que incentivavam o preconceito e a diferença, a força repressora do Estado para manter o status a quo mandavam policiais para agredi-los e neste momento os relatos, bem como as gravações em vídeo mostra uma multidão jovens se emponderando e cantando lindas canções em adoração a  Deus, no qual em seu conteúdo diziam o "Vou fazer o que o Espírito Santo me manda fazer" em quanto apanhavam, sorriam em uma cena que excede todo o entendimento humano, era claro a presença de Deus naqueles atos.

Reflexivo, intrigante e explosivo, mostra a força da unidade contra a injustiça, mostra a luz  através do conhecimento, conta a história da formação das primeiras universidades negras nos EUA, revela  a  fé em Cristo e o pacifismo como combustível para a transformação social, comemora a queda da segregação racial e empondera a sociedade afro-americana. Simplesmente incrível


Nenhum comentário: